Acessibilidade:

IDENTIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

Você é capaz de identificar previamente comportamentos que demonstram alguns dos Transtornos de Aprendizagem?

Desde a educação infantil e anos iniciais é possível intervir com práticas pedagógicas eficazes, que podem auxiliar o pequeno.

Vários fatores podem demonstrar um distúrbio de aprendizagem, e seu papel como pai e educador é se capacitar para auxiliar no diagnóstico precoce.

Boa leitura.

IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DE FATORES DE RISCO PARA OS TRANSTORNOS (DISTÚRBIOS) DE APRENDIZAGEM

Embora, o diagnóstico de transtornos de leitura, escrita e aritmética só podem ser diagnosticados a partir do processo de alfabetização, há alguns sinais indicativos ou de risco para um desenvolvimento adequado da aprendizagem, excluindo-se, obviamente, privação cultural, a deficiência intelectual, falta de oportunidades que não configuram, segundo o DSM-V, critérios para se considerar um transtorno de aprendizagem.

O professor deve observar alguns comportamentos que podem sinalizar a eminência de risco para a aprendizagem, já na Educação Infantil e nos anos iniciais do Fundamental como:

Pré Escolares 3 a 5 anos:

  • Desenvolvimento lento na aquisição do vocabulário; atraso na fala; dificuldades articulatórias;
  • Dificuldade em correr e saltar;
  • Dificuldades para entender instruções e seguir rotinas;
  • Falta de atenção e aumento da atividade e impulsividade;
  • Dificuldade para abotoar e desabotoar;
  • Atraso para memorizar os números, o alfabeto, os dias da semana, as cores e formas;
  • Falta de controle e manejo do lápis e de canetas;
  • Aparecimento de condutas problemáticas em suas interações sociais

Crianças de 6 a 11 anos:

  • Confunde direita e esquerda e escreve em espelho;
  • Coordenação motora aquém do esperado, confunde-se e propenso a acidentes;
  • Não segura bem o lápis
  • Sua dificuldade de coordenação motora fina compromete a caligrafia
  • Não completa uma série de instruções verbais
  • Compreensão leitora aquém do esperado, lento ou ineficiente para recordar /recuperar informações.

Características, habitualmente, presentes nos transtornos de leitura:

  • Dificuldade persistente no processo de alfabetização;
  • Dificuldade em estabelecer a correta relação entre letras e os sons que as representam;
  • Leitura hiperanalítica ou hiperdecifratória (silabada);
  • Velocidade lenta da leitura;
  • Falta de expressividade durante a leitura;
  • Uso excessivo ou inadequado de pausas;
  • Falta de marcação rítmica ou de marcação das tônicas durante a leitura;
  • Dificuldade de se marcar a modalidade (não é possível perceber se o escolar lê uma pergunta afirmação ou exclamação pela sua entonação).

Características, habitualmente, presentes nos transtornos de aritmética:

  • Incapacidade para estabelecer correspondência biunívoca;
  • Incapacidade para contar com sentido – relação número/numeral;
  • Incapacidade para associar símbolos auditivos e visuais;
  • Incapacidade para aprender sistema cardinal e ordinal de contagem;
  • Incapacidade para visualizar conjuntos;
  • Incapacidade para compreender princípios de conservação;
  • Incapacidade para executar operações aritméticas;
  • Incapacidade para compreender a organização de numerais nas páginas;
  • Incapacidade para obedecer e recordar a sequência dos passos que devem ser dados em operações matemáticas diversas;
  • Incapacidade para compreender princípios de medida;
  • Incapacidade para ler mapas e gráficos;
  • Incapacidade para escolher os princípios para solucionar problemas de raciocínio aritmético.

A observância dos comportamentos supracitados pode auxiliar no encaminhamento e diagnóstico precoce de transtornos de aprendizagem e, dessa forma, oportunizar ao educando medidas educacionais diferenciadas para auxiliá-lo a suprir ou minimizar os impactos dos transtornos de aprendizagem em sua vida pessoal e acadêmica.

CLIQUE AQUI e conheça como a capacitação de Transtornos da Linguagem pode auxiliar VOCÊ neste processo.

Com muitas dicas e ações para identificar, intervir e desenvolver atividades práticas, de forma dinâmica.

Qualquer dúvida, CLIQUE AQUI ou entre em contato via WhatsApp 43 – 9966-0203.

Será um prazer atende-lo.

Até breve.

Grupo Rhema Educação

Continue lendo

Agressividade no TEA: como lidar?

Em primeiro lugar, como você lida com situações adversas em sala de aula? Você sabe o que fazer para controlar […]

Intervenção psicopedagógica em alunos com TDAH

Olá, professores! Inicialmente, a dinâmica presente no processo de aprendizagem pode contar com elementos indispensáveis para a educação das crianças, […]

Práticas pedagógicas na Educação Infantil na pandemia

Inicialmente, a pandemia chegou e impôs mudanças bruscas na maioria de nossas atividades, inclusive nas práticas pedagógicas. Assim, todo mundo […]