Acessibilidade:

ESQUIZOFRENIA INFANTIL: O QUE É? QUAIS OS SINTOMAS E TRATAMENTO?

Olá pais e professores,
 
Saber identificar comportamentos nada comuns em crianças continua uma tarefa desafiadora aos pais e professores. COMO IDENTIFICAR, POR EXEMPLO, A ESQUIZOFRENIA INFANTIL?
 
Ainda que hajam casos raros da doença nessa fase, especialistas afirmam que a esquizofrenia em crianças costuma aparecer antes dos cinco anos de idade e os primeiros sinais podem ser tão vagos que é complicado decidir o que é errado ou pode atribuí-las a uma fase de desenvolvimento.
 
Podendo até ser em alguns casos confundida com o AUTISMO , por alguns sintomas em comum, esta doença rara pode atrapalhar totalmente a vida escolar e social da criança.
 
E esta identificação muitas vezes vem da equipe escolar, já que muitas destas crianças passam grande parte da sua rotina na escola.
 
E você professor, sabe quais são estes sintomas e o que deve ser feito?
 
Se você precisa saber mais sobre este assunto, esta matéria em nosso Blog é para VOCÊ!
 
Vamos lá?
 
O QUE É ESQUIZOFRENIA?
 
 
A Esquizofrenia é um distúrbio mental crônico, grave e incapacitante, afetando 1% da população mundial. A doença caracteriza-se principalmente por alucinações e delírios. Homens e mulheres são acometidos em igual proporção, mas a doença costuma ser diagnosticada mais cedo no sexo masculino.

Apesar da Esquizofrenia ser rara antes da puberdade (a maioria dos casos se inicia entre os 17 e 30 anos de idade), existem relatos de esquizofrenia em crianças com até 5 anos de idade.
Ainda que hajam casos raros da doença nessa fase, que não tem cura nem causa conhecidas, especialistas afirmam que a esquizofrenia em crianças costuma aparecer antes dos cinco anos de idade e poucas vezes surge na adolescência.
Quando a esquizofrenia infantil começa muito cedo na vida, os sintomas podem construir-se gradualmente. E as primeiras aparições podem ser tão vagas que é complicado decidir o que é errado ou pode atribuí-las a uma fase de desenvolvimento.
 
QUAIS OS SINTOMAS DA ESQUIZOFRENIA?
 

Os especialistas dividem as manifestações da Esquizofrenia Infantil em 3 grandes categorias:
SINTOMAS POSITIVOS: consistem em alucinações (algo que apenas a pessoa afetada vê, ouve, cheira ou sente), delírios (crenças absurdas, como acreditar que alguém está controlando seus pensamentos através de ondas magnéticas ou achar que seus pensamentos estão sendo transmitidos pela televisão, etc), distúrbios do pensamento (a desorganização do pensamento pode ser tão grande que a pessoa sente uma dificuldade tremenda em se expressar pela fala) e do movimento (falta de coordenação motora, movimentos involuntários estranhos ou catatonismo).
SINTOMAS NEGATIVOS:  caracterizados pela perda ou diminuição na capacidade de fazer planos, falar, expressar emoções ou encontrar satisfação nas atividades habituais do dia a dia. A falta de atenção com a higiene pessoal também é comum. Não raramente, crianças com estes sintomas são diagnosticadas como deprimidas ou rotuladas de preguiçosas. 
SINTOMAS COGNITIVOS: incluem alterações no nível de atenção e no funcionamento da memória. Estes sintomas podem ser sutis a ponto de serem detectados apenas através de testes neuropsicológicos específicos. 
 
ESTIMATIVAS DA ESQUIZOFRENIA
A esquizofrenia é uma enfermidade mental que afeta menos de 1% da população mundial, com independência de raças, civilizações e culturas. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), afeta uns 52 milhões de pessoas em todo o mundo.
No Brasil, estima-se que 1,8 milhão de pessoas são afetadas por esta doença.
COMO DETECTAR A ESQUIZOFRENIA NAS CRIANÇAS?
Quando a esquizofrenia infantil começa muito cedo na vida, os sintomas podem construir-se gradualmente. E as primeiras aparições podem ser tão vagas que é complicado decidir o que é errado ou pode atribuí-las a uma fase de desenvolvimento.
As esquizofrenias que aparecem antes dos 5 anos, têm traços extremamente comuns ao autismo, e somente com uma evolução posterior, com o aparecimento de sintomas psicóticos, propriamente ditos, permitirá um diagnóstico certo. Antes dos 3 anos, o diagnóstico diferencial é muito improvável.
Preste atenção, por exemplo, se a criança tem delírios ou alucinações. A criança esquizofrênica costuma apresentar modos e pensamentos irracionais e problemas que exerçam tarefas habituais, como o simples hábito de tomar banho ou se vestir.
 Outros sinais bastante comuns da doença são atrasos na linguagem e comportamento motor incomuns, como balançar ou agitar muito o braço sem motivo.
A observação é importante porque, com o passar do tempo, os indícios da esquizofrenia infantil se tornam mais graves e perceptíveis para a família, amigos e funcionários da escola

Eventualmente, a criança pode desenvolver os sintomas de psicose, incluindo alucinações, delírios mais frequentes e dificuldade de organizar seus pensamentos, quando há uma “ruptura da realidade.” Segundo especialistas, essa é a fase crítica da doença, uma vez que há a possibilidade de hospitalização e tratamento com medicação.
 
VEJA OUTROS SINAIS DA ESQUIZOFRENIA INFANTIL:
• Ver ou ouvir coisas que não existem (alucinações), especialmente vozes
• Não ter crenças com base na realidade (delírios)
• Falta de emoção
• Emoções impróprias para a situação
• Retraimento social
• Mau desempenho escolar
• Diminuição da capacidade para a prática de autocuidado
• Rituais alimentares estranhos
• Discurso incoerente
• Pensamento ilógico
• Agitação
O QUE SE DEVE FAZER?
Muitos diagnósticos podem surgir pela equipe pedagógica, já que a criança pode passar grande parte da sua rotina na escola. E para que isso aconteça, a escola deve entender quais os sintomas e como identificar alguns sinais. E desta maneira sempre estar em comunicação direta com a família para que a criança seja encaminhada a equipe médica e tratamentos especializados.
As crianças com esses problemas e sintomas devem passar por uma avaliação integral. Geralmente, essas crianças necessitam de um plano de tratamento que envolva outros profissionais. Uma combinação de medicamentos e terapia individual, terapia familiar e programas especializados (escolas, atividades, etc.) são frequentemente necessários.
TRATAMENTO
  • Medicamentos antipsicóticos
  • Treinamento de habilidades sociais, reabilitação vocacional e assistência psicológica e educacional
A esquizofrenia não pode ser curada, ainda que alucinações e delírios possam ser controlados com medicamentos antipsicóticos, tais como haloperidol, olanzapina, quetiapina e risperidona ( Esquizofrenia e transtorno delirante).
 
Crianças são especialmente suscetíveis aos efeitos colaterais dos medicamentos antipsicóticos. Os efeitos colaterais podem incluir tremores, movimentos lentos, distúrbios motores e síndrome metabólica (que inclui obesidade, diabetes tipo 2 e concentrações anormais de gordura no sangue – Síndrome metabólica).
 
Treinamento em habilidades sociais, reabilitação vocacional, apoio psicológico e educacional para a criança e aconselhamento para a família são essenciais para ajudar a todos a lidar com o distúrbio e suas consequências. 
 
Os médicos devem sempre encaminhar as crianças a psiquiatras especializados no tratamento de crianças.

 

Continue lendo

Principais causas das dificuldades de aprendizagem

Você, educador, também já se perguntou o porquê um aluno apresenta baixo desempenho escolar? A verdade é que podem existir […]

ESTRATÉGIAS PARA IDENTIFICAR DIFICULDADES NA LEITURA

Você sabia que ao fazer leitura para as crianças é uma forma de incentivo para a compreensão do mesmo? Confira […]

PERIGOS E DILEMAS QUE ESTAMOS SUJEITOS COM A UTILIZAÇÃO DA INTERNET PELOS NOSSOS FILHOS

    Professora Me. Leila Pryjma Grupo Rhema Educação A internet foi criada para ser uma ferramenta de riquíssimo teor […]