Acessibilidade:

20 FORMAS SIMPLES DE TORNAR O SEU FILHO MAIS INTELIGENTE BRINCANDO!




Qual é a melhor forma de estimular a mente do seu pequeno?

Bom dia sábado!

Hoje é dia de se divertir com as crianças, e o melhor de tudo é ajudar a criança a desenvolver sua inteligência brincando.

Por este motivo, hoje vamos compartilhar um texto da jornalista americana Kelly St. John Regier com 20 ideias para se divertir com as crianças e ao mesmo tempo aumentar o QI, ou seja, a inteligência do seu filho.

Não é preciso você ser um expert em nenhum assunto para estimulá-los, basta ter muito amor envolvido!

Fonte : jornal americano de Orange, Califórnia, EUA.


20 FORMAS SIMPLES DE TORNAR O SEU FILHO MAIS INTELIGENTE
Qual é a melhor forma de estimular a mente do seu pequeno?
A seguir confira 20 ideias fáceis para se divertir e aumentar o QI do seu filho.
1.    Leia um livro: seu filho nunca será muito novo para se tornar um leitor, diz Linda Clinard, consultora de alfabetização e autora do livro “Family Time Reading Fun”. Ao ler, abrace o seu bebê e veja o livro com ele. Mesmo que a criança não entenda o que está vendo, “ela irá associar a leitura com carinho e amor”, diz Clinard. As crianças pequenas são especialmente atraídas por livros com imagens reais, acrescenta ela.

2.    Mesmo longe, dê carinho para o seu filho: cérebros humanos são conectados para buscar segurança e, se o cérebro de um bebê não se sentir seguro, ele não conseguirá aprender. Para estabelecer esta relação, basta dar amor e carinho para o seu filho. “Desde o nascimento da criança, aquela voz mansa e amorosa e o toque suave significam muito para elas”, diz Clinard.
3.    Cante: rimas infantis, músicas de propaganda ou as suas canções favoritas – os bebês amam ouvir cantar.
4.    Mantenha contato visual: olhe para os olhos do seu recém-nascido. Dentro de uma semana, a criança pode reconhecer o rosto dos seus pais e, cada vez que ele olhar para você, ela estará construindo sua memória e aprendendo a reconhecer as expressões faciais.
5.    Conte sobre o seu dia: fale muito com o seu bebê. Pesquisas mostram que, quanto maior o número de palavras que as crianças ouvirem de seus pais e cuidadores antes dos 3 anos, maior será o seu QI. Diga-lhes o que você está fazendo, o que está pensando e o que eles estão vendo.
6.    Use o tom certo: a voz infantilizada, com um tom mais agudo, que muitos pais usam instintivamente tem um propósito. Ela ajuda o cérebro do bebê a aprender a linguagem, tornando os sons das vogais mais distintos e o tom mais alto o que facilita o bebê a imitar.
7.    Conte em voz alta: quando você lavar as mãos e os pés do bebê na banheira, conte os dedinhos em voz alta. Conte os brinquedos com ele, ou, quando ele for mais velho, conte o cereal que ele está aprendendo a comer. Logo ele irá contar as coisas com você.
8.    Aponte o dedo: pesquisas mostram que as crianças aprendem a língua mais rápido se você apontar para um objeto ao dizer a palavra.
9.    Use aplicativos para ter ideias: existem aplicativos que dão ideias de atividades simples, mas impactantes, que ajudam no desenvolvimento da criança desde o nascimento. Em Orange, um app bastante usado é o Kimberly Goll, ele está disponível em inglês, espanhol e vietnamita e permite que os pais acompanhem o progresso dos filhos. Procure jogos para cada fase de idade.
10.  Amamente, se puder: existe uma ligação pequena, mas clara, entre a amamentação e o desenvolvimento cognitivo. Então, se você puder, mantenha o aleitamento exclusivo materno até os 6 meses e continue a amamentar de forma parcial até a criança completar um ano.
11.  Desligue a televisão: a Academia Americana de Pediatria diz que as crianças não devem ser expostas a qualquer tempo que seja, em frente às telas antes dos 18 meses, diz a Dra. Rosette Yson-Zaragoza, pediatra da Associação Pediátrica do município do sul de Orange (Califórnia). “Esses tipos de situações de visualização não-interativas podem ser prejudiciais ao desenvolvimento da linguagem do bebê”, diz ela. “Deixe a criança conviver com pessoas reais até os 18 meses e, depois disso, se eles quiserem ver algo on-line ou assistir, veja com eles e fale sobre o que estão vendo”.
12.  Responda às necessidades do seu bebê em tempo hábil: quando um bebê chora, ele está avisando que precisa de algo como conforto, comida ou que a fralda deve ser trocada. Quando você responde aos choros ele aprende que pode contar com você. Não é estragar o bebê verificar o que ele quer quando está gritando.
13.  Dê a ele a opção de escolher: mesmo um bebê de 3 a 5 meses de idade tem opinião. Mostre a ele dois livros ou dois brinquedos e veja qual ele se sente mais atraído para olhar ou tocar, diz Clinard.
14.  Brinque de esconde-esconde: brincar de esconder com a mãe ou o pai não é apenas divertido para as crianças. É também ensinar que objetos podem desaparecer e, em seguida, reaparecer.
15.  Faça cócegas nos pés: faça brincadeiras com os dedos e ensine a criança a antecipar as situações.

16.  Dê-lhe um descanso: preste atenção se o seu bebê dá sinais de excesso de estímulo. Se ele estiver desviando o olhar, não o force. Deixe-o ter um tempo livre, no chão, sem música ou luzes, para que ele possa se divertir, brincar calmamente ou engatinhar.
17.  Saia de casa: talvez hoje tenha um show de bonecos na biblioteca, o dia esteja alegre no parque ou no zoológico. Seu bebê será entretido por novas vistas e sons. Clinard recomenda a seleção de programas voltados para o público infantil.
18.  Deixe seu bebê se ver: mostre ao seu bebê um espelho. A princípio, ele pode pensar que está olhando para outra criança, mas depois vai adorar fazer o “outro” sorrir e acenar.
19.  Brinque de jogar: quando seu bebê tem menos de 6 meses, sente-o em uma cadeira dessas com bandeja e dê a ele brinquedos macios. Quando ele jogar os brinquedos no chão fale sobre o que está fazendo. Ela está aprendendo causa e efeito (quando joga, um brinquedo cai) e logo começará a procurar itens caídos no chão.

20.  Fale francês ou espanhol com a criança: se os pais ou o cuidador sabe outra língua, converse com o bebê neste idioma. “Na verdade é uma vantagem para as crianças serem bilíngues, porque incentiva o pensamento paralelo. Isso não tem relação a atrasos na linguagem”, garante Yson-Zaragoza.

Continue lendo

COMO LIDAR COM OS ALUNOS COM DIFICULDADES EM MATEMÁTICA?

Querido professor… Como estão as suas aulas de Matemática?  Você tem muitos alunos que possuem dificuldades em sua aula? Veja […]