Acessibilidade:

Como identificar atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor?

O amadurecimento de uma criança deve ser algo que desperte atenção por parte dos adultos de seu convívio, pois há aspectos muitos determinantes envolvidos. Dentre os pontos a serem observados, destacamos o desenvolvimento neuropsicomotor, em função de sua grande importância nesse processo.

Você saberia identificar os possíveis atrasos no desempenho neuropsicomotor de seu aluno ou de seu filho, por exemplo? O detalhe pode estar nos pequenos feitos do cotidiano da criança. Assim sendo, veja quais são esses sinais e como providenciar as melhores condições ao pequeno.

O que é desenvolvimento neuropsicomotor?

Ele consiste no processo em que a criança consegue desempenhar determinadas habilidades. Com isso, elas vão ficando cada vez mais complexas. Dessa forma, o desenvolvimento acontece em diferentes áreas.

A primeira delas é motora, que envolve movimentos elementares no processo de maturação da criança, tais como: sentar, engatinhar, andar. A segunda parte a ser trabalhada é a linguagem, responsável por promover ações como chorar, sorrir e falar, por exemplo.

Já a terceira é a psicossocial, caracterizada pela interação do pequeno com os demais. É interessante frisar que cada uma dessas habilidades acontece em um momento diferente. Por isso, os professores e os responsáveis pela criação da criança devem prestar atenção na idade do pequeno e no que ele já deveria ter conquistado até então.

Quando ocorre o atraso nesse desenvolvimento?

O atraso do desempenho neuropsicomotor acontece quando a criança não adquire certas habilidades esperadas para a idade em que ela se encontra, como andar ou falar, por exemplo. Nesse sentido, os adultos devem ficar atentos em relação a esses sinais; e buscar aprimorar o conhecimento por meio de estudos e atualizações, já que o diagnóstico precoce faz toda diferença.

Como identificar?

A identificação do atraso pode ser percebida por meio da observação. Em outras palavras, esse acompanhamento exige atenção dos pais e dos professores. Determinados detalhes podem ser muito importantes nessa prática, tais como:

2 Meses de idade: nessa etapa, o bebê já deve conseguir sentar;

9 Meses de idade: antes de chegar até aqui, a criança precisa começar a engatinhar;

14 Meses de idade: o período em torno dessa fase já deve ser o suficiente para o pequeno sinalizar o gesto de dar tchau com a mãozinha;

15 Meses de idade: a partir desse momento, o bebê deve conseguir andar sozinho;

1 Ano e seis meses: aqui, a criança já precisa demonstrar autonomia para se alimentar;

– 2 Anos e três meses: nessa fase, o pequeno já deve conseguir formar frases;

5 Anos: quando a criança chegar nessa etapa, ela precisa controlar o impulso de fazer xixi e cocô.

Observem acima que a evolução das conquistas adquiridas pelos pequenos acompanha determinadas fases de suas vidas. Dessa forma, estar atento a atrasos pontuais nessas ações é fundamental, uma vez que a partir dessa análise pode ser possível detectar algum problema no desenvolvimento neuropsicomotor.

Assim, o diagnóstico precoce faz toda a diferença, pois a estimulação precoce contribui consideravelmente para o desenvolvimento da criança. Além disso, o acompanhamento feito em sala de aula também funciona como uma excelente oportunidade para traçar estratégias psicopedagógicas.

Qual a relação do atraso na fala com o desenvolvimento neuropsicomotor?

 As crianças diagnosticadas com atraso no desenvolvimento psicomotor podem ter dificuldade de comunicação. Nesse contexto, tal quadro envolve a demora para falar, formar frases ou compreender o que é dito, por exemplo.

Mais uma vez, é importante reiterar que essa observação pode ser feita por meio de brincadeiras, pela interação das crianças com seus colegas na escolinha; por meio da comparação com os demais e, até mesmo, através das conversas com os pequenos. Com isso, eles podem se expressar e você consegue identificar possíveis sinais.

Qual a importância da família nesse processo?

Os familiares da criança são peças fundamentais para o trabalho que vai ser realizado em prol do desenvolvimento psicomotor. Para se ter uma ideia, os pais ou responsáveis não só observam o processo de aquisição das habilidades já citadas anteriormente, mas também estabelecem um importante canal de comunicação com a escola e\ou a clínica.

Por meio desse compartilhamento de informações – acerca da situação do pequeno – etapas como o diagnóstico, as intervenções e as abordagens podem ser constantemente tratadas pelos devidos responsáveis. Assim sendo, todos os envolvidos podem oferecer as soluções mais adequadas às crianças.

Por que buscar conhecimento é essencial?

Se você tem interesse em se aprofundar e descobrir todos os detalhes que envolvem o desenvolvimento psicomotor, então o estudo é uma alternativa muito importante. Afinal, por meio de aulas interativas e baseadas em evidências científicas, os alunos conseguem se especializar no tema com o auxílio de professores experientes.

Para isso, o curso de Pós-graduação em Neuropsicomotricidade, do Grupo Rhema Educação, é uma especialização diferenciada. Os alunos têm muito a aproveitar por meio de aulas online e ao vivo, materiais atualizados e professores experientes.

Ficou interessado? Fale com um consultor.

Continue lendo

IDENTIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

Você é capaz de identificar previamente comportamentos que demonstram alguns dos Transtornos de Aprendizagem? Desde a educação infantil e anos […]

DISGRAFIA ALIADA A COMORBIDADES: O QUE VOCÊ PRECISA SABER!

Se você tem dúvidas sobre a Disgrafia, você precisa ler este conteúdo! Olá professor, tudo bem? Muitos são os desafios […]

25 Características do Autismo

Você já parou para pensar sobre quais são as características do Autismo?  O Espectro Autista é um Transtorno que tem […]